(73) 98121-8979  | 

Itabela: GENTE DA GENTE - Antônio Lima Souza, "Tonhão" do Colégio Municipal de Itabela, conta um pouco de sua história.

Postada em 29/08/2017 20:48:33 -
Por: JNHOJE

 

Antônio Lima de Souza mais conhecido como "Tonhão", nasceu em Itamaraju em 1952, veio de uma família composta por 16 irmãos. Tonhão chegou a Itabela na década de 60, mais precisamente em 1968.

Antônio Lima, "Tonhão", nos contou que quando chegara à Itabela a cidade ainda não era emancipada, era o começo de tudo. Com o polo madeireiro a todo vapor, as coisas iam de vento em polpa. Neste mesmo ano em curso, Tonhão trabalhou para prefeitura de Porto Seguro, no setor de eletrificação, onde o mesmo abria escavação para implantação de postes de energia elétrica do lugar, que ainda não era esta cidade com mais de 32 mil habitantes.

Com o tempo, Tonhão se interessou pelo seguimento madeireiro, onde veio a trabalhar já na década de 70, como ajudante de caminhão, prestando serviço para a então "Serraria Maderita”. Empreendimento existente naquela época.

Em sua parede observamos uma fotografia, um time de verde e branco. Então perguntamos a ele o que seria, e Tonhão revelou! Eu participava de um time de futebol naquela época chamado de "Palmeirinhas". Muitos dos que estão aqui já se foram, mas ainda guardo na lembrança estes tempos de ouro.

Em seguida em meados dos anos 70, "Tonhão" conseguiu aprender a profissão de motorista, vindo a trabalhar puxando madeiras para alimentar a serras da serraria. Como motorista, “Tonhão” passou por um grave acidente, que o mutilou, deixando-o sem a sua perna esquerda, o impossibilitando de exercer a sua profissão. Mas Tonhão, não se abateu, e com garra e coragem para enfrentar os obstáculos que só após ficar quase 10 anos inativo e cuidando de sua saúde, conseguiu passar no concurso público para vigilante, e desde então trabalha nesta mesma função até os dias de hoje, no Colégio Municipal de Itabela.

"Tonhão" comumente conhecido por várias pessoas e estudantes que passaram e passam pelo Colégio, tem um jeito especial de tratar das pessoas, sempre sorridente e alegre, uma humildade de pessoa. Ele disse lembrar-se de muita gente, de muitos alunos que hoje formados são professores. Tonhão conta sorrindo lembrando-se dos velhos tempos de amigos que passaram por aqui, como: Geovane Batatinha, que não lembra? Professor irreverente ao qual os alunos se retratavam a ele como professor "batatinha", do Solivam, da Joselí "Jô", Jaciara, e dentre muitos outros que já se foram e aos quais ainda se vê por aqui.

"Tonhão" disse ter muita saudade de Marli Calatroni, que na década de 90 conduziu a direção do Colégio Municipal de Itabela. Segundo ele, Marli o ajudou muito, e sempre se lembrará dela e de sua família com muito carinho e respeito. Hoje Marli esta morando em outra cidade, os filhos dela estudaram aqui como muitos dos meus amigos hoje. Mas independente de eu frisar a senhora Marli, também não deveria deixar de agradecer, a todos os que passaram pela direção do Colégio Municipal, eles sempre me trataram também com muito carinho e respeito.

© 2013 - 2018 jnhoje.com

Notícias da Costa do Descobrimento, sul e extremo sul da Bahia.


Anuncie: 73 9 8121-8979 | contato@jnhoje.com