(73) 98121-8979  | 

Porto Seguro divulga balanço geral de 2017 sobre a situação epidemiológica.

Postada em 16/12/2017 11:58:43 -
Por: JNHOJE

 

A Secretaria de Saúde de Porto Seguro, por meio da Vigilância em Saúde, promove de forma contínua e intensificada ao longo do ano às ações de combate ao mosquito Aedes Aegypti (transmissor da dengue, chikungunya e zika), com o objetivo de desenvolver vigilância, prevenção, controle de doenças e promoção da saúde a fim de beneficiar a população e turistas. O Programa Municipal de Controle às Endemais-PMCD- apresenta nesta sexta-feira,15/12 , o consolidado anual correspondente as atividades desenvolvidas na cidade em relação a situação epidemiológica no período de 01 de janeiro a 11 de dezembro de 2017.

“Temos implementado ações permanentes e integradoras na luta contra o mosquito, mas precisamos da participação de todos para a proteção e bem-estar da população. O compromisso da gestão pública é diário, mediante as ações de vigilância e medidas de controle vetorial de combate ao Aedes aegypti, o que tem reduzido consideravelmente nos últimos anos os casos confirmados das doenças, mas a atuação da administração pública depende diretamente do posicionamento consciente do cidadão em manter o cuidado com a limpeza do imóvel evitando acúmulo de água parada”, enfatiza a Secretária de Saúde, Edna Alves.

Notificações e casos registrados

De acordo com os dados do Programa Municipal de Controle às Endemias, coordenado por Ellen Domiciano, Porto Seguro mantém Índice de Infestação Predial satisfatório em 1%, significando que não encontra-se em situação de alerta ou risco, conforme o Ministério de Saúde preconiza este percentual aceitável. Em Porto Seguro, de 1 janeiro até 11 de dezembro, foram notificados 1090 casos suspeitos de dengue, tendo 11 confirmações. Quanto a chikungunya 743 notificações com 31 casos positivos. O zika vírus obteve 210 registros suspeitos, mas sem confirmação (Fonte: LACEN/2017).

Atividades realizadas em campo

As visitas de rotina realizadas pelos agentes de combate às endemias, que tem por finalidade eliminar e tratar os possíveis criadouros do mosquito, contabiliza 111.957 mil imóveis inspecionados, de acordo com os dados dos últimos ciclos concluídos em todos os tipos de imóveis existentes no município (residências, terrenos baldios, construções, entre outras edificações).

As ações de educação popular em saúde e de mobilização social atingiram a marca de 36.519 intervenções entre mutirões, faxinaços, palestras, atuações nas escolas, feiras de saúde, panfletagens e visitas domiciliares. No item mutirões as equipes promoveram, com apoio conjunto das Secretarias de Saúde, Meio Ambiente e Serviços Públicos, 21 faxinaços em diferentes bairros e distritos totalizando 170 toneladas de materiais inservíveis recolhidos que poderiam se tornar criadouros do Aedes Aegypti.

Destaque também para os bloqueios realizados pelas esquipes de operações especiais, responsáveis pela eliminação mecânica dos criadouros e tratamento adequado, que registraram 762 atuações usando a Bomba Costal UBV leve (Perifocal) e 232 fumacês. Os bloqueios de transmissão são efetivados quando ocorrem notificações de casos de dengue, zika ou chikungunya na casa ou local de trabalho da pessoa com suspeita da doença. O trabalho é feito em um raio de 150 metros a fim de ampliar o bloqueio e impedir a expansão de novos criadouros.

 

Fonte: Agazeta Bahia

© 2013 - 2018 jnhoje.com

Notícias da Costa do Descobrimento, sul e extremo sul da Bahia.


Anuncie: 73 9 8121-8979 | contato@jnhoje.com